sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Missões Mundiais - Bonequinhas de Papel pra Montar Mary Doves

Para presentear as meninas num culto de missões que faça alusão ao México, África, Japão e/ou Irlanda.

Uma boa sugestão são as bonequinhas de papel.









domingo, 18 de setembro de 2011

Como trabalhar com Adolescentes e Pré-adolescentes.



Trabalhar com adolescentes é mesmo um desafio! Por isso...
1 - Seja honesto e franco - se você não sabe uma resposta, não enrole, pesquise e responda depois. Incentive a conversa aberta e crie uma relação de confiança com os jovens, assim eles passarão a se sentir à vontade para fazer perguntas e participar.
2 - Respeite as opiniões - eles já querem ser tratados como adultos - mas ajude-os a perceber erros e problemas - adolescentes ainda tem muito de criança dentro de si. Promova o respeito mútuo (com você e entre eles).
3 - Utilize temas atuais e do interesse deles, ou tente atualizar os temas que você vai trabalhar. Mantenha-se atualizado sobre os interesses dos jovens: preste atenção às vitrines de lojas, assista um pouco de TV os programas que eles gostam, converse com professores, psicólogos e profissionais que convivem com eles.
4 - Varie as técnicas na medida do possível; use dinâmicas, vídeos, jogos de computador, brincadeiras, trabalhos manuais - coisas nas quais os jovens possam participar e fazer por eles mesmos. Adolescentes gostam de novidades, de ser surpreendidos, de se movimentar.
5 - Evite palestras ou lições de moral. Leve os jovens a encontrar a "moral" por eles mesmos. Uma técnica interessante é a do tribunal: divida em 2 grupos - acusação e defesa - e você pode ainda ter um 3°. grupo para júri. Proponha um texto bíblico, por exemplo uma atitude controversa de Jesus. Os jovens devem apresentar seus pontos de vista, de acordo com o grupo a que pertencem, podem convocar testemunhas (personagens que outros jovens irão interpretar). É preciso chegar a uma conclusão no final - se nem todos concordam que pelo menos todos entendam o que levou Jesus a agir como agiu. Pesquise em livros de técnicas de dinâmicas de grupo ou peça ajuda a profissionais de RH ou pedagogos para outras técnicas como esta.
6 - Conte histórias, essa é uma atividade que atrai todas as idades - quem não gosta de um pouco e mistério, romance, aventura? A Bíblia tem inúmeras passagens interessantes, divertidas, guerras, paixões, etc...
7 - Crie momentos descontraídos, sem tema ou responsabilidade (um jogo de futebol ou queimado depois da reunião, um piquenique ou passeio, gincanas, etc..) - o ambiente informal ajuda a promover a integração e a amizade entre os juvenis.
8 - No mais, entregue-se nas mãos de Deus, ele te guiará e mantenha a mente aberta para aprender sempre!

Adolescentes - AJUDE SEUS FILHOS ADOLESCENTES A AVANÇAREM NÁ FÉ POR SI MESMOS



Adolescentes - Entrevista feita por Carla Bamhill ao Pr Mark Oestreicher, experiente líder de adolescentes

Entrevista por Carla Bamhill


         Os primeiros estágios da adolescência podem reforçar ou enfraquecer a fé de seu filho. É durante esses anos que os adolescentes começam  a pensar em seu relacionamento com Deus de uma forma totalmente nova. A fim de descobrir como pode ajudar a manter forte o crescimento da fé de seu filho, conversamos com Mark Oestreicher, vice-presidente do ministério de recursos da Youth Specialties. Mark é um jovem pastor experiente e autor como também editor geral (juntamente comigo) da The Teen Devotional Bible (A Bíblia Devocional Para Adolescentes) (Zondervan). Essa Bíblia foi produzida por Youth Specialties e pela revista Campus Life, nossa publicação irmã para adolescentes.

O que acontece na vida dos jovens adolescentes que torna esse período uma ocasião especial ou não para o crescimento na fé?

Este é o melhor período para os adolescentes começarem a pensar em terem sua própria fé! Ao longo dos últimos 15 anos tenho trabalhado com centenas e centenas de jovens adolescentes e eu afirmo que se os jovens cristãos não avaliarem a fé de sua infância, modificá-la e comprometerem-se novamente a ela em algum momento antes de completarem 15 ou 16 anos, eles farão uma de duas coisas: ou irão estagnar em sua fé e prosseguir na vida com um sistema simplista de crenças que não afetará seu viver diário ou irão abandonar completamente sua fé, crendo que a fé dos pais não é de fato relevante para sua existência e para sua vida adulta. Há um elemento individual na fé – cada pessoa finalmente decide se a aceita ou rejeita – isto é impulsionado nos primeiros anos da adolescência.

Embora esses sejam anos cruciais no processo de dar o próximo passo mo desenvolvimento da fé, é apenas o início. Nenhum jovem adolescente terá completamente desenvolvido o sistema da fé. Parte disso tem que ver com a forma como seus pensamentos mudam nesses anos. Eles estão passado do pensamento concreto para aprenderem a pensar de forma mais abstrata. Esta nova capacidade de pensar – pensar de forma abstrata, pensar nos pensamentos, processar os resultados potenciais e as idéias conflitantes – é algo ainda um tanto ineficaz. Este é o motivo de os adolescentes serem mais atraídos a histórias da Bíblia do que a partes mais abstratas ou simbólicas. As histórias não exigem pensamento abstrato para seguir a trama. Porém, de fato requer pensamento abstrato pensar como aplicá-las, e este é o motivo de os anos da adolescência serem um momento tão especial para ensinar as grandes histórias da Bíblia. Estas contribuem para que construam uma ponte do concreto para o abstrato. Ainda, apenas um em cem irão realmente ser capazes de processar os conceitos espirituais abstratos nessa idade.

Você pode me dar um exemplo?

Minha amiga estava falando a um grupo de jovens adolescentes em um acampamento. Amarrada em um galho alto de uma árvore estava uma corda de balanço balançando sobre o lago. As crianças tinham de subir em uma torre alta e então se sentar na corda e saltar da torre para balançar-se sobre o lago. Para a maioria delas isso era muito legal, mas para outras, um tipo de mostro.

No final da semana, minha amiga estava apresentando o evangelho. Ela disse: “Confiar em Jesus se assemelha a esta corda – o primeiro passo pode parecer um pouco assustador, mas então você percebe que a corda irá sustentá-lo e o prazer é maravilhoso”. Depois de sua palestra, uma menina por volta dos onze anos dirigiu-se a ela e disse: “Creio que desejo tornar-me cristã, mas estou realmente com medo da corda de balanço. Realmente tenho de me balançar nela para me tornar cristã?” Essa adorável menina (você não gostaria de abraçá-la?) ainda não tinha a capacidade de pensar de forma abstrata. Não conseguia captar a comparação simples. Este é um extremo.

No lado oposto está um menino chamado Garrett, por volta dos quatorze anos, em minha última igreja. Em uma viagem missionária de jovens para o México, ficou evidente que o Garrett realmente tinha o dom do evangelismo. Enquanto os outros jovens queriam envolver-se no projeto da construção ou brincar com as crianças da Escola Cristã de Férias, o Garrett estava sempre atrás de um intérprete para ir de porta em porta para levar as pessoas a Cristo.

Quando voltamos à nossa igreja, contamos nossas experiências à congregação. Pedi ao Garrett para falar, e disse-lhe especificamente: “Conte aos irmãos como você levou muitas pessoas a Cristo”. O Garrett partilhou seu testemunho e, em determinado ponto, disse: “O Mark queria que eu partilhasse com vocês como levei pessoas a Cristo. Eu me senti mal”. Ele continuou. “Não foi exatamente isso o que aconteceu. O que aconteceu é que Deus as conduziu a mim”. Puxa! Esse é um tremendo pensamento abstrato para um jovem adolescente.

Que outras barreiras as crianças têm de transpor para realmente se interessarem pela fé, apreciarem a leitura da Bíblia e viverem sua fé? Como os pais podem ajudar seus filhos a transporem essas barreiras?

Honestamente, de forma típica as crianças acham a Bíblia maçante. Para uma criança de 12 anos a leitura da Bíblia pode ser tão horrível quanto ler um texto na escola que ela mal compreende. Este é o motivo de eu realmente apreciar a Teen Devotional Bible. Toda a apresentação interessante nela está ali para levar os adolescentes a compreenderem o texto e verem que a Bíblia realmente é relevante para eles neste momento.

A honestidade, integridade e transparência deles a respeito da vida e da fé farão uma tremenda diferença aqui. Se os adolescentes não puderem vê-lo buscando a ajuda de Deus quando você fracassa, se não puderem ver que você necessita diariamente de Jesus, ficarão muito confusos quando fracassam e quando a vida não é o que pensavam que deveria ser. Observá-lo aprender e crescer será a influência mais forte para que façam o mesmo.

Uma vez que o adolescente esteja interessado em crescer na fé, como posso ajudá-lo na transição das atividades espirituais conduzidas pela família – devoção ou estudo familiar da Bíblia – para seu tempo pessoal com Deus?

A palavra-chave é transição. O que não funciona é 12 anos de cultos maravilhosos em família, seguido por uma mudança repentina, da noite para o dia, para o estudo e reflexão pessoais.

Ajude seu adolescente afazer essa transição ao diminuir o tempo do culto na família e incluir tempo pessoal onde todos se retiram para ter alguns minutos sozinhos de devoção. Ou dê a seu filho algum material de estudo da Bíblia adequado à sua idade, veja que ele faça as lições sozinho e depois converse sobre o tema com ele. Faça duas cópias do estudo e preencha um deles. Desta forma, quando vocês estiverem juntos para discuti-lo não parecerá dever de casa, mas dois viajantes na estrada da fé caminhando juntos e comparando as anotações feitas.

Você pode também tentar algo não convencional como, por exemplo, um retiro espiritual da família. Acampem como família. Faça planos para que cada membro da família esteja a sós com Deus. Prepare atividades para as crianças, pedindo-lhes que cada uma coloque dentro de um envelope as cores que Deus colocou na natureza. Peça-lhes que busquem um lugar tranqüilo onde se assentarem e ficarem em silêncio por meia hora. Peça-lhes para encontrarem algo na natureza que represente quem eles são ou que os levem a pensar em Deus. Quando os adolescentes realmente têm experiência com Deus ao invés de apenas ouvirem histórias a respeito deles, isso impulsiona-lhes a fé a um novo nível e aumenta-lhes o desejo de encontrarem a Deus na Escritura.

Como posso ajudar meus filhos a compreenderem a Bíblia ou responder às suas perguntas a respeito de Deus quando eu mesmo não compreendo?

Novamente, esta é a idéia do companheiro de viagem. Os pais pensam que têm de ter uma resposta para cada pergunta espiritual que seus filhos fazem. Não é verdade! O fato é que pode ser mais proveitoso para o desenvolvimento espiritual de seu adolescente você dizer: “Não tenho a menor idéia do porquê Deus fez isso” ou “Luto com isso também”, em vez de dar uma resposta qualquer todas as vezes.

Se você não sabe a resposta, busquem-na juntos. Além do Espírito Santo, nada irá solidificar mais a confiança de seu jovem adolescente em sua fé do que pesquisar as respostas com você. Ao mesmo tempo, não tenha medo de deixar algumas perguntas sem resposta. Parte de conhecer a Deus é saber que Seus caminhos estão, muitas vezes, além de nosso entendimento.

Quais são os outros meios pelos quais posso ajudar meu filho a ter a sua própria fé?

A experiência é a chave. Envolver os adolescentes na ação do ministério – não apenas como recipientes – pode exercer um impacto surpreendente. Encontre ministérios na igreja nos quais eles possam estar envolvidos de forma significativa. Busquem, como família, um projeto missionário breve. Tirar as crianças de sua zona de conforto tem tremendas implicações para seu crescimento espiritual. Se você estiver envolvido em algum tipo de ministério, envolva seus filhos também.

Encorajo até mesmo a que permitam que seus filhos, de forma respeitosa, questionem seus valores. Essa é uma parte essencial do processo de crescimento espiritual. Ajuda os adolescentes a compreenderem que podem ter dúvidas e que isso faz parte do aprendizado e crescimento cristão. O alvo de todos os pais cristãos é criar filhos que sejam fiéis seguidores de Cristo quando adultos. Os adolescentes têm muito maior probabilidade de realizar isso quando têm a oportunidade de pensar no que significa ser cristão e tornarem a fé algo pessoal deles.

 Fonte desconhecida

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Velhas Boas Novas - Por Rev. Aroldo Telles


Trazendo os cânticos antigos à memória, o Rev Aroldo consegue imprimir uma verdadeira atmosfera de culto através desse cd. São os seguintes cânticos:

01 O amor de Jesus
02 Leia a Bíblia
03 Vou no trem.
04 O sabão.
05 Três palavrinhas só.
06 Aleluia, aleluia.
07 Louvai-o, Louvai-o.
08 Deus é bom para mim.
09 Posso ser um missionariozinho.
10 Cristo ama as crianças.
11 Ouço o clamar.
12 Faraó Faraó.
13 Cristo chamou doze.
14 Mesmo que eu não marche.
15 Marcha soldadinho.
16 Estou alegre.
17 A Cristo daí louvor.
18 É fácil de entender.
19 Sim eu sou feliz.
20 Diz a Bíblia.
21 Jesus me ama.
22 Por mim morreu Jesus.
23 Meu coração era sujo.
24 Meu barco é pequeno.
25 Há uma linda canção.
26 Portal da salvação.

Link: Velhas Boas Novas

Cânticos Missionários infantis


segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Uma excelente revista pra auxiliar nas aulas.

É bom lembrar que apesar dos temas serem bíblicos, a revista é uma publicação não evangélica. Considerem apenas os artesanatos.
"Considere todas as coisas, mas retenha só o que é bom." (1 Tessalonicenses 5:21)
Faça o download no picasa da Jac Goulart.
Link:  Picasa Jac Goulart

domingo, 28 de agosto de 2011

Decoração - Estante improvisada para sala de EBD

Idéia interessante retirada do Site das Gurias. Muitas vezes estamos usando alguma sala na igreja e não temos verba necessária para adquirir alguns móveis. Por que não reciclar?  A idéia, além de ser muito proveitosa, também é ecológica. 
Grande abç!
Ana




"Sabe aquele armário velho que você quer se livrar e não sabe o que fazer com as gavetas? Não se desespere, seus problemas acabaram!!! Achei uma ideia muito legal, para recuperar as gavetas e ainda transformá-las em uma estante fofa.


Você vai precisar de:
Suprimentos
• Tinta primer
• 2 tintas de cores coordenadas
• papel decorativas
• cola de decoupage
• parafusos
• pregos
• madeira de enchimento
Ferramentas
• pincel
• tesoura
• trena
• broca
Passo a passo:
1. Preencha a gaveta com a madeira de enchimento fixando com os pregos. Retire a poeira e arestas e em seguida pincele uma camada de tinta primer.

2- Pinte as partes externas de uma cor.

3- Quando secar, pintar os lados interior da outra cor.

4- Meça e corte o papel decorativo para caber no fundo de cada gaveta.

5- Insira o papel para ter certeza de que ele se encaixa. Corte, se necessário.

6- Pincele uma camada de cola para a madeira e, em seguida, coloque o papel em cima. Deixe secar
7- Fixe cada gaveta na parede com parafuso."

sábado, 27 de agosto de 2011

Respirando Missões em Setembro - Revistas grátis


Setembro já está chegando. Junto com ele a campanha de Missões nas igrejas Batistas. Como sugestão a todos que ainda não tem uma programação acertada, acesse arquivos passados em:
"Revista de Missões 2009 infantil"
Revista de Missões 2010 - infantil
Revista de Missões 2011 - infantil


Em breve postarei as outras. Aguardem!

Músicas Infantis - Missões




Você pode baixar no próprio site da JMM (Junta de Missões Mundiais Batista)
São 2 cds: "Vamos alvoroçar o mundo" e "Uma decisão Superespecial".
Para baixar basta clicar no ítem desejado.
Grande abç!
Ana



Kit Missionário - APEC

O QUE HÁ NO KIT
1) Cartaz Grande do tema “Crianças do Brasil para Deus”.
2) Cântico Ilustrado “Aqui Pertinho na Esquina”.
3) Cântico ilustrado “Senhor Jesus, dá-me um coração”.
4) História Missionária “Que Posso Fazer?” – A História de Jessé Irvin Overholtzer, fundador da APEC Internacional: sua vida e sua busca pela salvação.
5) História Missionária “Mais do que ela podia imaginar!” – A história de Adhiambo, que se passa no Quênia, país do leste da África.
6) Livro “Missões para Crianças”.
7) Rótulos “Minha Oferta para Missões” (22) para serem colados em latinhas de refrigerantes, fazendo um cofrinho.
COMO UTILIZAR O KIT
1º Dia = Enfatize o tema AS CRIANÇAS DO BRASIL PARA DEUS.
  • Cante: Aqui Pertinho na Esquina.
  • Ore pelas crianças.
  • Conte 1º capítulo da História “Mais do que ela podia imaginar”.
  • Fale sobre a oferta e estabeleça um alvo com as crianças. Veja no livro “Missões para Crianças” no capítulo 8, na página 34, o item 5. Use o cartaz grande do TEMA.
  • Fale sobre a confecção do cofrinho incentivando as crianças a trazerem uma latinha de refrigerante vazia na próxima aula.
  • Escreva o alvo da oferta a ser levantada num pedaço de papel e coloque-o à direita do mapa do Brasil, na parte de baixo do cartaz.
  • Fale sobre a confecção do cofrinho incentivando as crianças a trazerem uma latinha de refrigerante vazia na próxima aula.
  • Cante: “Senhor Jesus dá-me um coração”.
2º Dia = Enfatize o IDE.
(Para ampliar o conceito do IDE leia no livro “Missões para Crianças”, na página 45, sobre o projeto Crianças em Ação).
  • Cante: Aqui Pertinho na Esquina.
  • Ore pelas crianças.
  • Recorde a primeira parte, já contada, e conclua a história “Mais do que ela podia imaginar”.
  • Entregue para cada criança o rótulo já cortado, para ser colado na latinha. Tenha a cola disponível e oriente as crianças na confecção dos cofrinhos. Você está autorizado a fazer mais cópias, se necessário, para entregar ao seu grupo de crianças.
  • Relembre as crianças sobre o alvo estabelecido, incentivando-as a economizarem durante a semana, ou a fazerem algum trabalho extra para conseguir algum dinheirinho que possam ir colocando nos seus cofrinhos.
  • Cante: “Senhor Jesus dá-me um coração”.
3º Dia = Enfatize o ORAI.
(Leia no livro “Missões para Crianças”, na página 33, sobre cartaz de oração).
  • Cante: Aqui Pertinho na Esquina.
  • Ore pelas crianças.
  • Conte o 1º capítulo da História “Que Posso Fazer”.
  • Siga todas as instruções do texto para dar informações sobre a APEC.
  • Fale sobre o alvo da oferta que será levantado na próxima aula e lembre às crianças que devem trazer os seus cofrinhos.
  • Leia no livro “Missões para Crianças” o capitulo 9, sobre as diretrizes para o levantamento de ofertas com as crianças.
4º Dia = Enfatize o DAI.
  • Cante: Aqui Pertinho na Esquina.
  • Ore pelas crianças.
  • Conte o final da história “Que Posso Fazer?”
  • Recolha os cofrinhos (que poderá ser feita por um dos auxiliares enquanto o programa se desenvolve), e após a contagem do dinheiro, verifique se o alvo proposto foi alcançado.
  • Caso o alvo seja ultrapassado, providencie uma bandeira do Brasil para ser colocada cobrindo o pedaço de papel onde estava a informação do alvo a ser alcançado pelas crianças.
OBSERVAÇÕES
1) Ore pela obra missionária da APEC, pelos seus missionários e pela salvação das crianças que são alvo do trabalho de evangelização. Ore a cada aula, por um ou dois motivos diferentes. Faça uma oração simples e curta, bem específica.
2) Leia o livro todo “Missões para Crianças” para uma melhor compreensão da importância de atrair as crianças para missões, e também para que você tenha outras ideias e as desenvolva no seu Programa missionário com as crianças.
3) Estimule as suas crianças a enviarem cartinhas para a APEC – Caixa Postal 20.244 – São Paulo – SP – CEP 04035-990 colocando as suas perguntas.
4) Após o levantamento da oferta envie-a para a APEC:

Pessoalmente (para quem estiver mais próximo da Sede Nacional da APEC – seria maravilhoso receber uma visita das suas crianças, se for possível).
Via Depósito Bancário em nome da Aliança Pró Evangelização das Crianças
  • Banco do Brasil – agência 1815-5 – conta corrente 14844-X
  • Bradesco – agência 475-8 – conta corrente 8684-3
  • Caixa. Ec. Fed – agência 235/Op 003 – conta corrente 2028-4
  • Itaú – agência 368 – conta corrente 17874-5
Atenção: Informe de seu depósito via telefone ou e-mail, para que possamos identificar o seu depósito e fazer o recibo correspondente. Tel/Fax: (11) 5089-6633 – E-mail: desenvolvimento.apec@apec.com.br
5) Ide! Orai! Dai! Que o Senhor use sua vida para despertar as suas crianças a se envolverem com missões desde cedo e a dedicarem-se para serem missionárias (quem sabe na APEC).


Maiores informações: APEC - Missões

BOM TRABALHO COM CRIANÇAS EXIGE BOA TEOLOGIA

Jesus Cristo teve, certa ocasião, uma contenda com os Seus discípulos, porque estes impediam que as crianças se aproximassem dEle. O Senhor chegou a ficar indignado e dirigiu-lhes então a seguinte palavra: “Deixai vir a mim os pequeninos, não os embaraceis, porque dos tais é o reino de Deus. Em verdade vos digo: Quem não receber o reino de Deus como uma criança de maneira nenhuma entrará nele” (Marcos 10:14,15).
            Embora se possa provar, sem sombra de dúvidas, que 85% dos atuais cristãos receberam a Cristo quando ainda eram crianças, antes dos 15 anos de idade; contra 10% que o fizeram dos 15 aos 30 anos; e 5% que só tomaram esta decisão após os 30 anos; mesmo assim se coloca muito tropeço impedindo as crianças de virem a Cristo.
            Lamentavelmente, não há visão e nem interesse em compartilhar o Evangelho com as crianças. A grande maioria dos trabalhos com as crianças se resumem em contar historinhas, cantar musiquinhas, fazer oraçõezinhas, preparar programinhas, sem nenhuma preocupação em mostrar a realidade do pecado e como uma criança pode receber a Cristo como seu Salvador Pessoal.
Este quadro precisa mudar u r g e n t e m e n t e !
            O Problema é Teológico
            O problema, na verdade, é teológico. Há uma teologia deficiente quando se trata das crianças. Não existem duas teologias, uma para adultos e outra para crianças. Há, isto sim, uma linguagem mais apropriada para o adulto e outra mais apropriada para a criança, mas não se pode esconder da criança a verdade do Evangelho.
            É preciso levar a criança a se reconciliar com Deus, reconhecendo que é pecadora, buscando o perdão e confiando no sacrifício de Cristo realizado na cruz do Calvário, pois “o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado” (1 João 1:7).
            E uma vez que a criança recebe a Cristo como seu Salvador Pessoal, apropriando-se, assim, da salvação, ela precisa também conhecer:
·         Que a salvação é eterna (segurança) – João 10:28,29; 1 João 5:11,12.
            Sim, a contenda foi eliminada completamente na cruz. “Agora, pois, já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus” (Romanos 8:1).
            A Doutrina da Queda do Homem
Uma das principais doutrinas na Bíblia, e que precisa ser bem compreendida, refere-se à queda do homem. Ao pecar, o homem rebelou-se contra Deus. Tornou-se inimigo.
            Lemos em Gênesis 1:26,27,31 - “Também disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança: tenha ele domínio sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus, sobre os animais domésticos, sobre toda a terra e sobre todos os répteis que rastejam sobre a terra. Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. Viu Deus tudo quanto fizera, e eis que era muito bom.”
            Já no final de Gênesis 3, no último versículo, vemos o homem expulso do jardim do Éden e sem possibilidade de retorno, levando consigo e para todos os seus descendentes as conseqüências de sua queda: dores, sofrimentos, trabalho duro para obter o sustento, doenças e a morte.
            Os filhos de Adão e Eva nasceram após a queda e receberam esta herança pecaminosa, “porquanto, assim como por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens, porque todos pecaram.
            Este texto tão claro, de Romanos 5:12, comparado com Salmo 51:5 - “Eu nasci na iniqüidade, e em pecado me concebeu minha mãe”, mostra-nos que cada criança já nasce num estado de pecado que a coloca em inimizade com o Deus Eterno, que é Santo e não tolera o pecado.
            Isaías, no capítulo 59, mostra de maneira magistral esta contenda que há entre os homens e o Criador, por causa das iniqüidades que fazem separação entre Deus e os homens e que provocam males terríveis para toda a sociedade.
            O problema todo se resume numa só palavra – p e c a d o!
            Pecado é uma palavra derivada de uma raiz que significa “errar o alvo”, “fracassar”. Trata-se, na verdade, do fracasso em não atingir um padrão conhecido, vindo a desviar-se do mesmo. Pecado é afastamento daquilo que Deus considera e estabelece como a conduta ideal. O pecado acaba se tornando uma oposição a Deus, uma verdadeira rebelião. O pecado é a transgressão da lei e do padrão de Deus.
O trabalho com crianças que não reconhecer esta problemática do pecado, mesmo no coração de um pequenino, terá pouca chance de ser frutífero. Se desejamos preparar uma nova geração, temos que enfrentar o problema principal de frente, sem rodeios, sem sentimentalismo, sem fugir do diagnóstico, ainda que seja duro: “Viu o Senhor que a maldade do homem se havia multiplicado na terra e que era continuamente mau todo desígnio do coração” (Gênesis 6:5).
            O Senhor Jesus foi também categórico ao afirmar: “Porque de dentro, do coração dos homens, é que procedem os maus desígnios, a prostituição, os furtos, os homicídios, os adultérios, a avareza, as malícias, o dolo, a lascívia, a inveja, a blasfêmia, a soberba, a loucura. Ora, todos estes males vêm de dentro e contaminam o homem” (Marcos 7:21-23).
            Há um só meio de tirar o Pecado      
            Só há uma maneira de apagar o pecado – através do sangue do Cordeiro Justo e Imaculado, do Filho de Deus, sem pecado, perfeito – o Senhor Jesus Cristo!
            Ora, tudo provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por meio de Cristo e nos deu o ministério da reconciliação, a saber, que Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não imputando aos homens as suas transgressões, e nos confiou a palavra da reconciliação. De sorte que somos embaixadores em nome de Cristo, como se Deus exortasse por nosso intermédio. Em nome de Cristo, pois, rogamos que vos reconcilieis com Deus. Aquele que não conheceu pecado, ele o fez pecado por nós; para que, nele, fôssemos feitos justiça de Deus” (2 Coríntios 5:18-21).
            Se, de um lado temos o fato da queda  do homem, o que acarreta a deterioração e a decadência de toda a sociedade, temos, em contrapartida, o fato estupendo de que o próprio Senhor procura a reconciliação, através do sacrifício de Seu Filho, realizado de uma vez por todas, na cruz central do Calvário.
            Preparar crianças para o futuro é conduzir estas crianças ao novo nascimento, contando-lhes a preciosa mensagem do Evangelho.
            Que todas as crianças conheçam:
1)  Que Deus as ama com tão imenso amor –  João 3:16.
2)  Que têm um problema (doença, necessidade) – Romanos  3:23; 6:23.
3)  Que só há uma solução (remédio, provisão) – Atos 4:12; 1 Coríntios 15:3,4; 1 Timóteo 2:5.
4)  Que precisam apropriar-se de Cristo (recebê-lO) – João 1:12,13
Trabalhe com boa Teologia
Gilberto Celeti

Fonte: Conexão Gilceleti

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Indústria do Sexo - influência sobre as crianças

      Excelente documentário! Mesmo sendo secular deve ser visto por conselheiros de adolescentes, de juniores, pré-adolescentes, pais, professores, líderes da igreja e etc... Abaixo encontra-se a 1ª parte.



 
Continuações=>  2ª parte / 3ª parte

Livros: "O Fator Melquisedeque" e "O livro no travesseiro". O que têm em comum?


O primeiro é uma biografia do Missionário norte-americano Adoniram Judson, indicado para organizações missionárias, tais como Mensageiras do Rei da Igreja Batista,... O segundo, diria, é uma leitura obrigatória pra todo cristão. Mas, o que têm em comum? Simples pra quem já leu os dois livros: um completa o outro. A história de Judson sob a ótica de quem envia o missionário no primeiro livro e a história sob a visão de quem fica à espera dos enviados. Pra quem lê o primeiro livro somente, a perspectiva do reino é dura, mas quando se lê o segundo tudo se explica. Adoniram passou maus bocados na Birmânia(sudoeste da China). Ele sentiu o chamado de Deus pra ir, foi, perdeu sua família,..., sofreu tudo o que tinha por uma causa que à princípio parecia perdida, sentiu-se fracassado e somente após 7 anos de pregação houve apenas 1 conversão, então, o que fazer? Ele sentiu no coração o desejo de traduzir a bíblia para o Birmanês e isso, aliado a uma conversão de um ladrão, mudou a história da Birmânia.
Deixo aqui minha sugestão aos conselheiros de Adolescentes, pré-adolescentes, Juniores e, também, a líderes de organizações missionárias: façam um estudo sobre a vida desse missionário utilizando-se dos 2 livros.
O primeiro (O livro no travesseiro) completo e o segundo (O Fator Melquisedeque) da pág: 61 à 88.
Lojas que vendem: UFMBB e Loja ERDOS
Boa leitura!

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Dízimo - Educação financeira da criança.

Sabe-se que hoje o Brasil passa por uma boa fase econômica onde há fartura e uma grande promessa de prosperidade. Boa parte da população acompanha essa injeção de crescimento gastando mais que ganha. Como fazer pra que os pequeninos aprendam a administrar o seu "ganho"? Leia abaixo a história contada por Dick Towner  (Associação Willow Creek) e publicada na revista de Missões Mundiais Batista, última. Avalie se não pode ser aplicada em seu lar ou sugerida aos pais de sua igreja.
Boa leitura!

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Evangelismo - Curso ABS




     A ABS Vida é uma missão evangélica, brasileira, que serve a Jesus em todas as denominações evangélicas, anunciando o Evangelho, incentivando o evangelismo e apoiando evangelizadores.
Ela oferece cursos grátis pra todos quanto quiserem aprender sobre evangelismo. 

 
Dentre os diversos cursos e projetos, ressalto:  
ABS Vida - Infantil , curso de evangelismo pra crianças e
 ABS Vida - Adulto (curso de evangelismo pessoal gratis).


Além disso, eles dispõem de material grátis para todo aquele que desejar evangelizar em cidades onde menos de 10% da população não é evangélica: ABS - Mais que dez 
 Cidades inclusas no plano: ABS - (Relação de municipios com ate 10%de evangelicos - dados do senso 2000_IBGE)


   Não perca tempo! Vamos cumprir o Ide de Jesus, já!

Grande abç a todos!
Ana